AÇÕES DO MAIO AMARELO 2020 SÃO ADIADAS PARA SETEMBRO

No intuito de atender as orientações do Ministério da Saúde referente ao Covid-19, a coordenação do Movimento Maio Amarelo, juntamente com a  direção do (Denatran) Departamento Nacional de Trânsito, decidiram a transferência das ações presenciais (ou de campo) de maio para setembro de 2020.

O Movimento Maio Amarelo sempre teve como principal característica a  mobilização da sociedade, sendo que as vias e rodovias de todo o país têm sido o grande “palco” das ações desenvolvidas pela sociedade durante o mês de maio. Vale destacar ainda que um dos principais aliados do movimento nos últimos anos, a mídia, atualmente está totalmente focada na cobertura relevante da pandemia do coronavírus.

De acordo com os organizadores, realizar o Maio Amarelo com a mobilização que tradicionalmente ocorre (caminhadas, blitz, palestras, seminários, etc.) será inconcebível nesse momento, uma vez que o chamamento nacional é para que a sociedade faça o isolamento social, visando à redução do contágio.

A Coordenação do Movimento diz ainda que está desenvolvendo alguns materiais para o mês de maio, porém 100% focado em mídias sociais e produzidos totalmente em home-office.

“Estamos certos de que em setembro, com o momento atual já administrado e com a experiência adquirida com esta mobilização social, estaremos ainda mais fortalecidos para, junto com as entidades do SNT (Sistema Nacional de Trânsito), levarmos o movimento às ruas. Certos de termos tomado a melhor decisão, contamos com o apoio de todos para setembro fazermos juntos um grande “MAIO AMARELO”, explicam os organizadores. 

O tema do Movimento para esse ano já está definido; “PERCEBA O RISCO, PROTEJA A VIDA”.

Desde o início, o Portal do Trânsito aderiu ao movimento apoiando e divulgando a ideia e seus objetivos principais. Esse ano não poderia ser diferente. 

“Todas as ações no sentido de buscar a redução dos índices de mortalidade do trânsito brasileiro, como é o Maio Amarelo, são bem vindas e merecem o apoio de toda a sociedade”, explica Celso Alves Mariano, diretor do Portal do Trânsito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *