AMANHÃ DIA 04 PODEREMOS TER GREVE DO COLETORES DE LIXO.

A Prefeitura através Secretaria Municipal de Serviços Públicos afirmou hoje a imprensa, que não foi omissa com relação a suposta falta de fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) por parte da empresa Trail aos funcionários da coleta de lixo em Guarulhos, como alega a carta da sindicato dos condutores (Sincoverg) que notificou o estado de greve de 72 horas e ameaça deixar a cidade sem o serviço a partir desta quinta-feira dia (4).

Segundo nota oficial, a pasta afirma que não faz ingerência sobre a administração da empresa Trail e/ou negociação salarial entre empresa e sindicato das categorias. E diz que “a população não pode e não deve ser penalizada com a paralisação deste serviço essencial, ainda mais neste período de pandemia que a cidade de Guarulhos atravessa. Em caso da paralisação da prestação dos serviços, o munícipio adotara as medidas judiciais cabíveis visando o cumprimento do contrato firmado e legislação vigente”.

Ainda de acordo com a administração, o presidente do Siemaco (sindicato que representa a categoria dos coletores) explicou que o estado de greve refere-se à categoria dos motoristas, excluindo-se os coletores.

A prefeitura afirmou que desde o dia 18/03 após a publicação do decreto 36.723/2020, acompanha a Trail Infraestrutura na adoção de medidas complementares de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus. As ações tomadas pela empresa e que teriam sido acompanhadas são: a instalação de compartimentos de água e sabão em todos os caminhões; o fornecimento de álcool gel para os funcionários; e o fornecimento de máscaras para todos os funcionários, após a publicação do decreto estadual 64.959, de 4/05, que obriga o uso.

Sobre essa obrigatoriedade, a Trail informou a Prefeitura que seu setor de medicina de segurança do trabalho recomenda não ser indicado o uso de máscaras por coletores durante o exercício da função por se tratar de atividade insalubre, aumentando o risco de infecção por outras bactérias e não sendo eficiente para o Covid-19.

Mesmo assim as máscaras foram entregues, atendendo à determinação legal, o que está gerando discussões, pois de um lado o Decreto obriga o uso das máscaras, de outro a medicina do trabalho da empresa alega que o uso é arriscado.

Qual foi a atitude tomada pela Prefeitura em relação a este fato?

A empresa notificou este fato à Prefeitura?

Se notificou qual a atitude a ser seguida?

Os coletores estão mais expostos ao vírus ou não?

Esta é uma colocação que tem que ser colocada na mesa.

Na carta enviada à empresa, o sindicato, presidido pelo vereador do PT Maurício Brinquinho, afirma que os trabalhadores não pararam durante o período de quarentena e não receberam equipamentos de proteção individual. “A única coisa que a categoria pede é uma negociação justa, com garantia de EPIs para todos e um acordo como reconhecimento do trabalho, sendo consequente um aumento salarial”, diz o Sincoverg.

Procurada, a Trail informou que vem concentrando esforços no sentido de manter, durante a maior crise de saúde pública da história do país, seu compromisso com colaboradores e a sociedade. “Porém, o setor público no país enfrenta uma grave redução de receita. Confiamos que todos os atores envolvidos somem esforços no sentido de manter a prestação de serviços essenciais sem recorrer a expedientes que prejudicariam as famílias, as empresas e toda sociedade de Guarulhos”, afirmou a empresa, em nota.

ABAIXO A REINVIDICAÇÃO DA CAMPANHA DE 2020.

SIEMACO PROTOCOLA PAUTA DA CAMPANHA SALARIAL 2020 DOS COLETORES DE GUARULHOS

02/06/2020SIEMACO PROTOCOLA PAUTA DA CAMPANHA SALARIAL 2020 DOS COLETORES DE GUARULHOS

Protocolamos na empresa Trail, a pauta de reivindicações da campanha salarial 2020 dos trabalhadores da coleta de Guarulhos. Lembramos que a data base da categoria é 1º de Junho, e nossas negociações ainda não se iniciaram.

A diretoria do sindicato reafirma que todos valores negociados serão aplicados de forma retroativa. Iremos aguardar a empresa se manifestar para darmos início às negociações. Dentre os principais pontos da pauta destacamos os seguintes:

  • Reajuste de 10% de aumento real nos benefícios e PPR/PLR.
  • Adicional no valor de 15% do salário, enquanto perdurar o estado de calamidade pública pela exposição ao vírus COVID-19.
  • Lavagem dos uniformes dos coletores visando não expor as famílias e suas casas a possíveis agentes nocivos.
  • Criação de comissão interna de prevenção de acidentes (CIPA) devidamente eleitos pela categoria e com estabilidade provisória de emprego.
  • Reforma dos banheiros e alojamentos dos coletores.
  • Limpeza permanente dos banheiros e alojamentos dos coletores
  • Durante o estado de calamidade ocasionado pela pandemia que seja autorizado que os funcionários comecem o trabalho direto dos setores para evitar aglomeração.

Entre outras melhorias que serão de suma importância para todos que desenvolvem este trabalho extremamente essencial principalmente durante o atual cenário que estamos.

“… A gente tem que ser reconhecido financeiramente. A empresa tem uma grande importância, mas quem tá fazendo o trabalho sujo e se expondo a doença somos nós trabalhadores. Esperamos reconhecimento profissional por parte da empresa, não só com salário, mas em outros sentidos também…” (Depoimento de trabalhadores em Limpeza Urbana)

NOTA DO SINDICATO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *