COMÉRCIO DE GUARULHOS PODERÁ SER FECHADO DE NOVO?

Está é uma pergunta que todo comerciante está fazendo nos dias de hoje com a reabertura para a população depois da quarentena imposta pelo decreto do prefeito.

Para alguns analistas governistas o aumento de circulação de populares nas lojas da cidade aumentou apenas 1% da média diária que ocorria durante a quarentena, mas para aqueles que não trabalham com percentuais a lógica está na percepção.

Os ônibus voltaram a ter uma circulação maior, ônibus lotados, trânsito engarrafado, população nos centros de compras em fila para comprarem, shoppings centers abertos com filas para entrar, então como pode ter na somatória dos governistas apenas 1% de aumento de circulação?

Todos nós gostaríamos que tudo voltasse ao normal, todos sem exceção, porém querer se enganar é um princípio neste momento atípico para o que ocorre no Mundo e aqui.

Barretos e Ribeirão Preto reabriram e o que aconteceu?

Tiveram que voltar atrás porque aumentaram os casos de confirmações e internações em UTIs de novos pacientes com o Corona vírus.

Guarulhos será que realmente está preparado para um passo atrás?

Até 15 dias atrás nossa capacidade de ocupação de UTI chegou a 100% e o que mudou de lá para cá?

Ah, chegaram novos respiradores então tá, pode colocar a população em risco novamente que temos suporte para atender, mas e os casos fatais, quem vai se responsabilizar?

O governo do Estado já requereu providencias ao Ministério Público sobre a abertura em nossa cidade sem obedecer às normas sanitárias.

Pressão que a administração está sofrendo para não quebrar o comércio, para os comerciantes não serem obrigados a fechar suas lojas é compreensível, mas abrir o comércio sem uma base cientifica e médica é incompreensível e pode ir as raias de o prefeito e seus auxiliares serem responsabilizados por qualquer problema maior na saúde da população.

E se o prefeito precisar revogar o decreto que permitiu a reabertura do comércio será a pá de cal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *