Cotidiano com Waldir Figueiredo

Olá, me chamo Waldir Simone Figueiredo e sou Jornalista e Escritor. Primeiro, quero agradecer o meu irmão Wanderley, pelo convite, para que eu escrevesse em uma coluna no seu jornal; Neste mesmo jornal, onde tive o prazer de dedicar onze anos de minha vida, na década dos anos 1980…Tempo glorioso para mim e para muitos colegas que tiveram a honra de sermos funcionários do saudoso patrão Paschoal Thomeu.

Homenagens e agradecimentos explícitos à parte, vou abrir esta coluna me apresentando para os leitores que ainda não me conhecem.

 

Nasci em Penápolis, interior de SP e fui criado em Lins, próximo da cidade onde nasci, até os meus nove anos de idade. Como meu pai (Waldemar Figueiredo) era, na época, Gerente de Banco, foi transferido para assumir a agencia do Banco Auxiliar em Guarulhos,  assim, tivemos uma breve passagem por Pinheiros em São Paulo, para depois fixarmos residência em Guarulhos.

Nesta cidade, morei por cerca de 30 anos. Me casei por duas vezes, e destas uniões nasceram meus seis filhos. Três Homens e três Mulheres.

 

Após o trabalho nos jornais Guaru-News, Folha Metropolitana e Metrô-News, nas áreas Comercial e Marketing, abri uma agência de Marketing e após alguns anos, as Duchas Corona, empresa da qual eu fornecia mão de obra temporária para a divisão de Promoção e Marketing, me comunicou para que eu assumisse a Gerência de MKT. Trabalhei durante treze anos e atuei como Gerente Comercial, Regional e também como Gerente de MKT. Após esse período fui convidado pela Lorenzetti para assumir a Gerencia Regional na filial MS em Campo Grande. Após cerca de dois anos e meio, fui convidado para assumir como Gerente Regional a maior filial da empresa no Rio de Janeiro e por lá permaneci por quase Oito anos.

 

Somando o grupo Paschoal Thomeu e as Duchas Corona e a Lorenzetti, dediquei a estas empresas 32 anos de minha vida…Bons anos e passou muito rápido, porque eu amava o que fazia e foi no Rio de Janeiro, onde nasceu para mim, a inspiração e o prazer pela escrita.

Nos jornais eu tinha facilidade em escrever textos ou chamadas publicitárias e era elogiado, mas não levava em conta. Foi lançando meu primeiro Blog, onde percebi que meus textos traziam seguidores e alguns deles, como se diz hoje, ou talvez ontem, bombavam…

 

Dali até escrever um livro, que sempre fora um desafio para mim, tive que escrever próximo de 200 páginas nos Blogs, para que nascesse em mim a coragem para me lançar a escrever um livro, e assim, aconteceram os desafios, vencidos, e os livros publicados na Livraria Amazon…Na verdade, transformei algumas páginas escritas dos Blogs e fiz alguns arranjos e publiquei na Amazon. Nasceram meus primeiros três livros, que contavam histórias do cotidiano no Rio de janeiro.

 

Posso dizer que meu primeiro livro com narrativas dos personagens de uma única história, nasceu e foi publicado na Amazon sob o título O dia em que o sol não apareceu…Nesta história de ficção (Como é difícil escrever um livro de ficção) o livro foi traduzido para a língua Inglesa e também publicada em outros países e teve vendas razoáveis.

Meu segundo livro, também de ficção, tem como título Cigano dos Mares e  foi impresso em nossa língua e também na língua Inglesa. Foi publicado também na Amazon em vários países e obteve vendas mais que razoáveis.

Meu último livro, publicado em Maio pp. tem o título Morar em um Veleiro e conta a história de um personagem que comprou um veleiro abandonado, reformou por inteiro e, enquanto isso, tirava suas carteiras de navegação. Com o barco pronto, começou a navegar pela costa brasileira até o Caribe. É um livro que foca a história sobre a navegação náutica e dá dicas de como fazer manutenção num barco e conta a saga do personagem, que descobre um novo ambiente, inusitado e desafiador, e se apaixona pelo mar e pela sua casa sobre as águas.

 

Hoje em dia resido em Recife-PE e pretendo escrever uma coluna de assuntos variados e semanal, trazendo aos leitores a minha visão sobre coisas importantes do cotidiano e que quase não são citadas pela mídia. Minha opinião, juntamente com a sua, podemos ter uma  leitura leve e agradável, porque de  assuntos pesados e tristes, está cheio por ai, basta ligar a tv ou abrir os sites de noticias e logo na capa o destaque é pelas tragédias ou pelos venenos partidários políticos, que nos enfiam goela abaixo. Menos  por aqui. Até a semana que vem. Se Deus quiser

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *