E A SAÚDE EM GUARULHOS CONTINUA UM CAOS.

Bonito só pelo visto é a fachada da Tenda do Cecap, porque nos bairros a situação é para lá de desesperadora.

Relato e mais relatos chegam a nossa redação diariamente e ao verificarmos a situação, chegamos a conclusão que existem reclamações até na Tenda Cecap.

Segundo moradores e funcionários da Saúde que preferem não se identificar, todos os dias que pacientes chegam em emergência em algum PA, havendo a necessidade e urgência ele é entubado e fica esperando a vaga na UTI e posteriormente a remoção por ambulância especializada.

Ocorre que a centralização apesar de ser coerente do ponto de vista prático nestes casos se torna ineficiente porque o paciente não pode ser entubado e ficar a espera de uma remoção.

O que aconteceu no PA Dona Luiza hoje dia 30.04, mostra claramente que o paciente foi entubado emergencialmente, foi pedido a remoção, a espera foi longa porque não havia vaga em UTI e quando acharam a ambulância UTI que foi buscar o paciente que já havia levado a ambulância, com o médico o acompanhando teve que retornar porque chegou um paciente em estado grave e foi colocado em sua vaga.

Após horas de espera segundo relatos de funcionários o paciente finalmente foi encaminhado para a UTI de um hospital.

Este paciente ficou esperando no PA Dona Luiza entubado, infectado, sem medicação compatível, respirador e acompanhamento médico adequado.

Apesar da porta do PA Dona Luiza continuar fechada para atendimento, esta inépcia pode custar entre viver ou morrer, apesar de todos os esforços do corpo clinico e enfermaria darem o máximo de atenção ao doente e seus familiares.

Segundo informações de funcionários, um caso como este exige muito mais profissionais da saúde daquele e outros PAs do que a rotina normal do dia a dia que já é desgastante.

Na maioria das vezes a remoção imediata pode significar a vida ou a morte de uma pessoa, portanto o aparelho de tomografia poderia estar disponível também nos outros PAs, porque nesta pandemia o atendimento com rapidez, diminui o fluxo de paciente infectado e outros pacientes que precisam de atendimento em outras especialidades.

Simples assim.

Com perto de um bilhão em caixa, dá para ser mais ágil, digamos se agirem com a mesma rapidez que os vereadores votaram o cheque em branco para o prefeito ter dinheiro em caixa na pandemia, muitas vidas poderiam ser salvas.

Aqui em Guarulhos, quando se puxa o cobertor se descobre os pés.

Isto porque temos máscara a 6,20 e perto de 1 bilhão em caixa, já imaginou se não tivesse este caixa?

Não daria para comprar máscara, montar tenda, contratar uma hamburgueria, mais 150 assessores, ai seria o caos.

Falta pulso e gestão alegam os funcionários e o pior em uma pandemia desta tem que haver os dois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *