ESTADO DE SÃO PAULO REGISTRA MAIS 195 MORTES EM 24 HORAS

A Secretaria Estadual de Saúde do estado de São Paulo divulgou nesta quinta-feira (21) que houve o registro de mais 195 mortes no estado por Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando à marca de 5.558 mortes pela doença no estado desde o início da pandemia, segundo o secretário, José Henrique Germann.

Os dados foram divulgados em coletiva à imprensa da qual participou também o governador, João Doria. No Brasil, o número de mortos por coronavírus já alcança a marca de quase 19 mil.

Segundo Germann, houve o registro, também, de 4.080 novos casos da doença de quarta-feira (20) para quinta-feira (21), totalizando 73.739 casos confirmados, o que representa um aumento de 6% nas últimas 24 horas.

A taxa de ocupação de leitos no estado está em 73%, sendo que, na Grande São Paulo, o número é ainda maior: 89,6%.

O estado tem 10.691 pacientes internados com coronavírus ou suspeitos da doença. De acordo com o governo paulista, 4.224 pessoas estão internadas em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) em todo o estado com Covid-19, e outras 6.467 pessoas estão em enfermarias de hospitais das redes pública e privada com a doença ou com suspeitas de estar.

O Hospital de Campanha de Heliópolis, na zona sul de São Paulo começou a funcionar nesta quinta-feira (21), segundo o governador João Doria. No total, o estado tem agora 2.468 leitos para atendimento exclusivo a pacientes com coronavírus dentro de hospitais de campanha.

O novo hospital tem 200 leitos, sendo 148 de enfermaria, 28 de estabilização e 24 de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). O investimento foi de R$ 915 mil de custeio e R$ 30 milhões (divididos em seis meses). 

De acordo com Doria, o Hospital de Campanha de Heliópolis fica em “uma das regiões mais pobres, mais vulneráveis e com mais necessidade de apoio” da capital. As declarações foram dadas durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

A capital paulista já tem outros três hospitais provisórios, conhecidos como hospitais de campanha em funcionamento: no Pacaembu, Anhembi e Ibirapuera. 

O governador João Doria, disse na tarde desta quarta-feira (20), que se os índices de coronavírus piorarem no estado serão tomadas medidas mais restritivas.

“Se nós não tivermos solidariedade, os índices crescerem ainda mais, e colocarmos em risco a vida das pessoas, seremos obrigados a adotar o lockdown”.

Doria não especificou quais são os índices. No protocolo estabelecido para um possível relaxamento da quarentena, são considerados três índices: mortes, casos e ocupação de UTIs.

“Vamos fazer um esforço nesses seis dias, de hoje até a próxima segunda-feira, dia 25 de maio, na capital, região metropolitana, no litoral e no interior de São Paulo, para evitar medidas mais duras e mais restritivas”, disse o governador. 

No entanto, Doria ressaltou que ele e os prefeitos do estado estão fazendo “todo o esforço possível” para evitar o confinamento total. “Se pudermos evitar com ações, com medidas e com a solidariedade das pessoas que estão se resguardando, se protegendo e se isolando em casa, melhor”, afirmou o governador. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *