FALECEU O JORNALISTA E ESCRITOR GILBERTO DIMENSTEIN

Faleceu na manhã desta sexta-feira o jornalista Gilberto Dimenstein, aos 63 anos de idade. Dimenstein lutava contra um câncer no pâncreas desde 2019. Durante sua carreira, se destacou na cobertura de temas sociais e de direitos humanos. Dimenstein faleceu por volta das 9 horas, dormindo em sua casa.

Em 2008, o jornalista criou o site “Catraca Livre”, cujo objetivo é apresentar informações sobre atrações culturais virtuais ou presenciais em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Formado pela faculdade Cásper Líbero, Gilberto Dimenstein atuou nos jornais “Folha de São Paulo”, “Jornal do Brasil”, “Correio Braziliense”, “Última Hora” e na revista “Veja”, além da rádio “CBN”. Além disso, também é autor de livros como “Meninas da Noite”, sobre a prostituição infantil na Amazônia, e “O Cidadão de Papel”, sobre os direitos da criança e adolescente no Brasil. Ele venceu por duas vezes o Prêmio Esso, o de maior prestígio no jornalismo brasileiro, em 1988 e em 1989 e uma vez o Prêmio Jabuti de Literatura, em 1993, com “O Cidadão de Papel”.

Em 2019, após ser diagnosticado com um câncer no pâncreas, já com metástase no fígado, o jornalista escreveu um relato sobre o diagnóstico na “Folha”.

“Hoje, é até difícil falar isso, estou vivendo o momento mais feliz da minha vida. Aquele Gilberto Dimenstein do câncer morreu. Nasceu outro. Câncer é algo que não desejo para ninguém, mas desejo para todos a profundidade que você ganha ao se deparar com o limite da vida. Não queria ter ido embora sem essa experiência”, escreveu.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *