RETOMADA DE CONSULTAS E CIRURGIAS ELETIVAS NA REDE MUNICIPAL

O agendamento de consultas e cirurgias eletivas em unidades da rede  municipal de saúde, que estava suspenso desde março por causa da pandemia do novo coronavírus, será retomado a partir desta segunda-feira 1º de junho. Segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, a situação do sistema está sob controle e permite o retorno dos procedimentos. 

“Nós mantivemos no sistema de saúde da cidade o funcionamento normal das consultas e também de cirurgias de cinco casos: os casos crônicos de diabete e cardiopatas, para recém-nascidos, para gestantes e vacinação. Fizemos apenas a suspensão de pequenas cirurgias eletivas e também de algumas consultas. Mas já determinamos, a partir da semana que vem, que as consultas suspensas voltem a ser marcadas pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs)”, informou Aparecido durante anúncio da retomada das obras da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Parelheiros, no extremo sul da capital.

Ainda de acordo com o secretário, a população pode procurar as unidades de saúde e Hospitais-Dia para fazer o agendamento. “Já estamos hoje com o sistema bastante controlado e em condições de voltar à vida normal no atendimento do conjunto da população”.

Desde 23 de março, consultas, exames e cirurgias eletivas estavam suspensos na capital. Em portaria publicada neste sábado, 30, no Diário Oficial da Cidade de São Paulo, a gestão municipal informa que o paciente deve acessar o consultório médico apenas no horário agendado e que o “distanciamento mínimo de um metro” deve ser respeitado.

“Caso seja necessário, aguardar na recepção”, diz o texto. As medidas de limpeza e desinfecção das instalações devem ser intensificadas.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) voltou a dizer que as atividades econômicas liberadas para voltar a funcionar seguindo o plano de flexibilização não serão retomadas na segunda-feira 1º de junho.

“A quarentena continua na cidade de São Paulo, não acabou a pandemia do coronavírus. A partir de segunda-feira, a gente começa a receber as propostas de abertura”. Ele também reforçou que as atividades de fiscalização serão reforçadas para evitar que estabelecimentos reabram.

*Conteúdo Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *