SAÚDE EM GUARULHOS COLAPSOU.

Com já estava se esperando, nesta quinta-feira (21) à noite ao atualizar o balanço do coronavírus em Guarulhos, foi divulgado que ao todo, o município registra 92% de taxa de ocupação dos leitos de UTI na rede estadual, e 97% na taxa média geral. A rede municipal já entrou em colapso e atingiu 103% de unidades ocupadas.

“Na municipal já colapsaram. Lógico que esses 3% a mais são improvisações de desespero. Colapsam e tendo gente precisando ser entubada e com respirador, estão em uma sala de observação. Mas não tendo mais UTI, vem daí os 103%. Se confirmando essa escalada que estamos tendo de casos confirmados, o colapso total está iminente. Lamentavelmente, completamente iminente”, afirmou o secretário da Saúde, José Mário Clemente.     

O Hospital de campanha possui 10 leitos de UTI, que estão ocupados. O local já passa por improvisos urgentes para atender a demanda de casos graves de pessoas infectadas pelo vírus. “As dez UTIs completamente ocupadas por casos graves que estão numa situação de intubação e respiração assistida: Estamos tendo a necessidade, que não deveríamos usar os quatro leitos da sala vermelha, que são leitos de passagem. Não distantes das características de UTI, mas não é para ser usado como UTI. O paciente grave é estabilizado nesse leito e dali vai para UTI. Mas infelizmente estamos tendo, por absoluta necessidade, que usar um dos quatro leitos como UTI”, conclui José Mario Clemente.

Ao todo Guarulhos registra 191 óbitos em decorrência da Covid-19, e outros 122 casos estão sendo investigados. O município ainda contabiliza 1.572 pessoas infectadas e outras 1.851 aguardam o resultado dos exames.

O próximo passo como já previsto pelo Jornal Guaru News é acessar as UTIs dos hospitais privados do município.

Caso o Hospital Pimentas-Bonsucesso já estivesse com os dois andares inativos em funcionamento poderia ter mais 40 alas de UTI, isto sem contar que o UBS Jardim Paraiso que tem uma estrutura hospitalar mediana, faria parte  deste suporte nos dias de hoje, porém são suposições neste momento e cabe a população apenas lamentar as obras inacabadas.

Uma secretaria que anualmente tem um secretário novo, não é possível esperar que um momento como este ela pode estar preparada para atender a população.

Política em saúde não é uma opção, haja vista que no governo federal temos a mesma coisa, cada um que assume tem uma visão do trabalho e em Guarulhos vamos também pagar esta conta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *